Quarta, 20 de fevereiro de 2019, 09:21h


Publicidade

Tordilho
Sicredi

Este conteúdo precisa do Adobe Flash Player instalado.

Get Adobe Flash player


Newsletter

Jornal Tradição

Ano XIII - Número 647 fevereiro - 2019

Fechar X

Ano XIII - Número 647

fevereiro - 2019


Galerias

Publicidade

Especiais

Jornal Tradição

Caderno Especial Expofesta da Melancia de Pedro Osrio 2019/02

Assine


Home Colunistas

Tradicionalismo Gacho

2019-01-04 Laranjal, aqui nasceu... Pelotas!

Todos que amam o bairro do Laranjal têm em mente que aqui nasceu a nossa querida cidade de Pelotas, que na data de 7 de julho de 1812 foi elevada à condição de Freguesia com a denominação de Freguesia de São Francisco de Paula e só em 1835 recebeu o nome de Pelotas, já agora com os foros de cidade.

No entanto, dizemos que aqui no nosso Laranjal nasceu Pelotas, pois a mais antiga das “estâncias”, por ordem de doação foi a que recebeu o coronel Thomáz Luiz Osório em 1758, segundo despacho de Gomes Freire de Andrade (O conde de Bobadela) que era o comandante-geral das Capitanias do Sul, por prêmio ao heroísmo nas guerras guaraníticas. Aí então esta caracterizada a primeira sesmaria de Pelotas, que em 1779 foi vendida ao casal Manuel Bento da Rocha e dona Isabel Francisca da Silveira, com uma área superior a 524 milhões de metros quadrados e que abrangia várias extensões, dentre elas, os atuais balneários do Laranjal e Colônia Z3, já que a fazenda Nossa Senhora dos Prazeres tinha como limites o Arroio Sujo (hoje Colônia Z3) até a barra do São Gonçalo.

A estância do coronel Thomáz Luiz Osório hoje pertence ao casal Gilberto Demari Alves e Ivone Tavares Assumpção Alves e chama-se Estância do Laranjal, onde funciona o Centro Equestre do Laranjal (CELA), ali na avenida Adolfo Fetter. 

Certa feita, em visita a sede da estância o amigo Alves contou que existe uma lenda que envolve a imagem da Santa — Nossa Senhora dos Prazeres — que se encontra até hoje na capela. Por diversas vezes tentaram levar a imagem para o centro de Pelotas para fazer uma restauração, mas sempre acontecia algo que impedia, tais como: temporais, eixos das carretas quebravam, enfim, como se Maria Santíssima não quisesse se afastar daquelas terras. Naquelas épocas da Fazenda dos Prazeres, ancoravam ali muitas embarcações à vela, que vinham recolher o fruto das safras de trigo e, principalmente LARANJAS que ali eram plantadas em profusão em toda a extensão que rodeia a propriedade. Dizem que eram tantas laranjeiras que, ao passar de carroça pela estrada, levava-se muito tempo andando entre laranjais (é a versão mais conhecida).

A zona do Laranjal, aconchego dos primeiros açorianos, foi reduto formador de uma cidade, já que na zona que inicia no Areal até o declive do Porto foi se formando um povoado repleto de casarões portentosos, oriundo da riqueza advinda das Charqueadas, mas aí vem outra história que contarei depois.

Vocês sabem como foram criados os balneários do Laranjal? Na próxima eu conto.  

Comentários (0)





Fechar  X

Laranjal, aqui nasceu... Pelotas!




Enviado com sucesso!

Em breve, o Jornal Tradição
Regional entrará em
contato com vocé.

ok


Jornal Tradição Regional - O elo da notícia até você.

Av. Imperador Dom Pedro I, 1886, sala 1 - Bairro Fragata - CEP: 96030-350 - Pelotas/RS

E-mail: jornaltradicao@jornaltradicao.com.br / Telefone: (53) 3281 1514

© Todos os direitos reservados