Segunda, 10 de dezembro de 2018, 00:03h


Publicidade

Tordilho
Sicredi

Este conteúdo precisa do Adobe Flash Player instalado.

Get Adobe Flash player


Newsletter

Jornal Tradição

Ano XVIII - Número 637 dezembro - 2018

Fechar X

Ano XVIII - Número 637

dezembro - 2018


Galerias

Publicidade

Especiais

Jornal Tradição

Caderno Agronegócio - Edição IV 2018/11

Receitas

Pêssego Trufado

Assine


Home Colunistas

Versão do Fato

2012-08-17 Câncer, quando se encontra razão para viver

 

Semana passada, recebi mensagem pelo Facebook falando a respeito do aniversário de 11 anos de falecimento do filho de amigos. Para marcar a data pediam que pessoas partilhassem de experiências vividas pela perda de um ente querido ou a superação de um câncer. Minha família esteve envolvida nas duas: no mesmo dia em que recebi a mensagem, vencemos, quando resultados de exames mostraram que o material coletado de um ente querido era benigno. O alívio leva a sorrisos, entre lágrimas.

Em momentos difíceis como os que estamos vivendo agora com minha mãe - 87 anos, debilitada fisicamente - teríamos que passar por todo um calvário que enfrentamos durante quase um ano, até março do ano passado, quando meu pai faleceu, vítima de um câncer de pulmão. Lembrando, agora, com algumas feridas cicatrizadas e outras ainda sendo tratadas, fica o sentimento de que, quando da partida, viramos quase zumbis: não sabíamos bem o que fazer, porque conviver com a doença e alcançar forças àquele que era o portador, havia se tornado parte das nossas vidas. Pode parecer estranho, mas ficamos reféns da doença.

O impressionante é que, mesmo que nos preparemos para envelhecer - o que é natural - porque isto começa a acontecer quando nascemos, não conseguimos nos preparar para a perda dos mais próximos, em nível de família, círculo de vizinhança ou amigos: buscamos um olhar, um sorriso, uma palavra sussurrada ou apenas, no sono, o arfar de uma respiração. Detectado no seu início, o câncer, hoje, já não assusta tanto. No entanto, para vencer o ciclo da doença, há um longo caminho a ser percorrido. Nele, muitos ainda vão ficar para trás, e, nas salas de tratamento, encontramos crianças, jovens e idosos precisando de consolo e de afeto, marcando presença e, na própria debilidade, encontrando uma razão para viver.

Comentários (0)





Fechar  X

Câncer, quando se encontra razão para viver




Enviado com sucesso!

Em breve, o Jornal Tradição
Regional entrará em
contato com vocé.

ok

Manoel Jesus

Educador



manoeljss@hotmail.com

Arquivo

Publicidade

Publicidade



Jornal Tradição Regional - O elo da notícia até você.

Av. Imperador Dom Pedro I, 1886, sala 1 - Bairro Fragata - CEP: 96030-350 - Pelotas/RS

E-mail: jornaltradicao@jornaltradicao.com.br / Telefone: (53) 3281 1514

© Todos os direitos reservados