Quarta, 20 de fevereiro de 2019, 08:34h


Publicidade

Tordilho
Sicredi

Este conteúdo precisa do Adobe Flash Player instalado.

Get Adobe Flash player


Newsletter

Jornal Tradição

Ano XIII - Número 647 fevereiro - 2019

Fechar X

Ano XIII - Número 647

fevereiro - 2019


Galerias

Publicidade

Especiais

Jornal Tradição

Caderno Especial Expofesta da Melancia de Pedro Osrio 2019/02

Assine


Home Colunistas

Tradicionalismo Gacho

2019-02-08 Tradicionalismo Gacho

A Estância do Laranjal, conforme publicado em 30 de dezembro de 2018, pertencia ao coronel Thomaz Luiz Osório e após passou por vários proprietários até a família Assumpção; mas vamos à história da criação das praias e balneários do Laranjal:

Dr. Antônio Augusto Assumpção Júnior nasceu em 1898. Cresceu na propriedade do pai. Era acostumado a ver as pessoas atravessarem o Arroio Pelotas, em uma balsa apelidada de Ferro de Engomar para visitá-los e aproveitar as águas da Lagoa dos Patos. Geralmente essas pessoas eram amigas intimas da família Assumpção e recebiam um cartão para entrarem na propriedade.

Em 1929, Antônio Augusto de Assumpção, pai da atual proprietária, herdou a estância. Ele deu o passo inicial à criação da praia do Laranjal. “Era tido como um visionário. Ninguém acreditava que pudesse prosperar um balneário de água doce”, diz dona Ivone.

Mesmo assim, Assumpção Júnior levou adiante a sua ideia: o lançamento da pedra fundamental da Vila Residencial Balneário Santo Antônio, publicado na edição de maio de 1950 do Diário Popular, e a inauguração do empreendimento em 31 de janeiro de 1952. 

Visionário e com um coração grande demais, seu grande sonho era fazer com que a população da cidade desfrutasse da beleza da praia. Assim começou a vender lotes e fundou a Vila Residencial Balneário Santo Antônio.

Essa iniciativa, por sua vez, deu origem aos futuros loteamentos do atual bairro Laranjal. Foram eles: o balneário Valverde, fundado em 1958, por Arthur Augusto Assumpção, e o balneário Nossa Senhora dos Prazeres (Barro Duro), iniciado em 1953 e idealizado por Luiz de Assumpção. Posteriormente, foram fundados o Recanto de Portugal, o Loteamento Pontal da Barra, a Barra dos Pescadores e diversos Loteamentos dentro do bairro do Laranjal, que começa na ponte do Arroio Pelotas e termina nas cercanias da ponte sob o Arroio Totó.

A versão mais aceita é de que o termo Laranjal foi motivado, principalmente, devido ao terreno arenoso propício à produção e cultivos de cítricos, como laranja, bergamota e limão. Como a grande maioria das espécies de frutas cultivadas na região possuía a cor de laranja na sua casca, a localidade foi coloquialmente sendo chamada de praia do Laranjal.

A Associação Comunitária do Laranjal (ASCLAR), que reeditou com grande sucesso a Virada Musical de 2018 para 2019, na orla do balneário Santo Antônio, estima que hoje morem cerca de 20 mil pessoas no bairro do Laranjal.

Vocês que apreciam ir ao Laranjal, principalmente aos domingos, seja inverno ou verão, para tomarem um chimarrão apreciando a beleza da nossa Laguna dos Patos, gostaram do texto? Então comentem.

Abraços e até a próxima, onde comentaremos sobre Maragatos e Chimangos.  

Comentários (0)





Fechar  X

Tradicionalismo Gacho




Enviado com sucesso!

Em breve, o Jornal Tradição
Regional entrará em
contato com vocé.

ok


Jornal Tradição Regional - O elo da notícia até você.

Av. Imperador Dom Pedro I, 1886, sala 1 - Bairro Fragata - CEP: 96030-350 - Pelotas/RS

E-mail: jornaltradicao@jornaltradicao.com.br / Telefone: (53) 3281 1514

© Todos os direitos reservados