Terça, 19 de março de 2019, 18:29h


Publicidade

Tordilho
Sicredi

Este conteúdo precisa do Adobe Flash Player instalado.

Get Adobe Flash player


Newsletter

Jornal Tradição

Ano XIII - Número 651 março - 2019

Fechar X

Ano XIII - Número 651

março - 2019


Galerias

Publicidade

Especiais

Jornal Tradição

Caderno Especial JTR Verão IV 2019/02

Assine


Home Colunistas

Tradicionalismo Gaúcho

2019-03-08 Revoluções no solo gaúcho: Maragatos x Chimangos

Na coluna anterior, fiz uma explanação sobre a Revolução Federalista (1893/1895). Naquela peleia tomaram parte muitos uruguaios, alguns do Departamento de San José, chamados de “maragatos”. Aos poucos o termo foi sendo usado para designar todos os revolucionários que usavam como símbolo o “lenço vermelho” no pescoço que na revoluçlão citada pelejaram contra os chamados de “pica-paus”.

Seguindo então sobre as revoluções,  vou escrever sobre a Revolução Assisista: No mês de janeiro, a Revolução de 1923 eclodia no estado colocando os oposicionistas - maragatos (assisistas) de lenço vermelho - em confronto contra o poder constituído - chimangos, ou ximangos, (ave de rapina semelhante ao carcará eram os borgistas de lenço branco). O primeiro grupo, formado por dissidentes do Partido Republicano Rio-Grandense (PRR), tinha como líder Joaquim Francisco de Assis Brasil. O segundo era comandado por Antônio Augusto Borges de Medeiros, que esteve no poder por mais de duas décadas.

Os ânimos se exaltaram após a vitória de Borges de Medeiros na eleição de 1922, considerada fraudulenta e ratificada em uma assembleia composta majoritariamente por borgistas, autorizando seu quinto mandato. 

A paz é assinada, em 15 de dezembro de 1925, no castelo de Assis Brasil, na localidade de Pedras Altas, município de Pelotas.

O acordo foi muito importante para o Rio Grande do Sul, pois o sucessor de Borges de Medeiros no governo gaúcho foi Getúlio Vargas, mas deste caudilho iremos escrever em outras colunas.

Antes de encerrar, não posso deixar de citar o grande revolucionário José Antônio Mattos Netto, o famoso Zeca Netto, que invadiu Pelotas em 29 de outubro de 1923, de surpresa ao amanhecer. Este será o tema da nossa próxima coluna. Ficaram curiosos? Então acompanhem a nossa coluna aqui no Jornal Tradição Regional.

Vocês não sabem da baita programação que teremos nas nossas entidades tradicionalistas no início de março, mês consagrado às mulheres, então acompanhem:

- No sábado, dia 9, teremos a abertura das atividades do CTG Raízes do Sul, na Av. Cidade de Lisboa 610, com jantar, coxa e sobrecoxa de galinha e aquela massa gostosa;

- Também no dia 9, teremos uma grande festa de posse da nova patronagem do CTG Cel. Thomaz Luiz Osório, com jantar a partir das 20h30. Parabéns à patroa Ana Boanova e aos membros da nova patronagem.

- Para encerrar, no dia 16 de março, vamos ter uma grande noite na centenária União Gaúcha J. Simões Lopes Neto com jantar, bailanta e posse da nova patronagem, liderada pelo patrão Romualdo Cunha Jr. Desde já desejamos muito sucesso à nova patronagem.

Bem amigos, por hoje é só. E “Salve o Dia Internacional da Mulher”.  

Comentários (0)





Fechar  X

Revoluções no solo gaúcho: Maragatos x Chimangos




Enviado com sucesso!

Em breve, o Jornal Tradição
Regional entrará em
contato com vocé.

ok


Jornal Tradição Regional - O elo da notícia até você.

Av. Imperador Dom Pedro I, 1886, sala 1 - Bairro Fragata - CEP: 96030-350 - Pelotas/RS

E-mail: jornaltradicao@jornaltradicao.com.br / Telefone: (53) 3281 1514

© Todos os direitos reservados