Sexta, 20 de julho de 2018, 09:27h


Publicidade

Sicredi
Tordilho

Este conteúdo precisa do Adobe Flash Player instalado.

Get Adobe Flash player


Newsletter

Jornal Tradição

Ano XIII - Número 616 julho - 2018

Fechar X

Ano XIII - Número 616

julho - 2018


Galerias

Publicidade

Especiais

Jornal Tradição

Caderno Especial 161 anos de Canguu 2018/06

Assine


Home Politica

Política

29-12-2017

Situação do funcionalismo de Pinheiro Machado se agrava e prefeito anuncia cortes e parcelamento


Foto: Roberto Witter "Enxugar a mquina um problema que vivem todos os entes pblicos em todas as esferas", afirma o prefeito Jos Antnio Duarte da Rosa

A situação dos funcionários públicos municipais de Pinheiro Machado, incluindo os de carreira, cargos de confiança e contratados, é classificada como crítica por Glades Freitas, que está na Prefeitura há 22 anos e criou um grupo nas redes sociais para os manifestos e cobranças dos colegas ao prefeito José Antônio Duarte da Rosa.


Salários parcelados estão sendo pagos normalmente no dia 20 do mês seguinte ao vencimento, além de nenhuma parcela do 13º salário ter sido paga e, para piorar, segundo Glades, dez meses de vale-refeição atrasados, no valor de R$ 180 por mês.



Exaustos das necessidades que estão passando, os funcionários resolveram reagir de uma forma mais contundente: ao amanhecer do dia 2 de janeiro, próxima terça-feira, às 6h30, concursados farão um manifesto na praça Angelino Goulart, próximo da Prefeitura, para tentar sensibilizar o prefeito e reverter a situação.


“Precisamos que a categoria se una comparecendo à manifestação. Outro apelo que fazemos é que nenhum vereador compareça ao ato, pois, em nossa opinião, não fazem absolutamente nada pela população e depois usam nossa mobilização para fazer nome”, critica.


O prefeito se manifestou sobre a atitude do funcionalismo. “Isso é positivo para nós porque mostra que eles estão preocupados com a situação que vivemos e querem que tomemos medidas que solucionem a situação. Ela é oportuna e importante para nós, pois é a opinião pública que vai nos auxiliar a tomar as medidas que precisamos tomar”, avaliou o gestor.


Rosa explicou que tais medidas se dão, principalmente, por conta do enxugamento da máquina pública, mas assegurou que demitir Cargos em Comissão (CCs) está descartado porque, segundo ele, isso já foi feito quando assumiu, ou seja, admitiu o mínimo de pessoas nessa condição, já que poderia ter 46 e possui 23 pessoas como CCs.


Para o prefeito, a situação está complicada em vários seguimentos do executivo, exemplificando com a área da educação que, em sua visão, é uma pasta que possui uma estrutura muito grande para atender um número de alunos que a cada ano reduz significativamente, e também parte da Secretaria de Saúde que será certamente atingida. “São nove escolas custeadas pelo município que atendem, no máximo, 50% dos alunos que atendia há 15 anos. Temos que diminuir essa estrutura, assim vamos reduzir os contratados de forma drástica, afinal, não contribuem para o fundo dos municipários e ao final de todos eles temos que pagar indenizações. Em outras áreas há a necessidade de alguns cortes, enfim, enxugar a máquina é um problema que vivem todos os entes públicos em todas as esferas”, comentou.


Quanto aos salários, o prefeito não quis gerar expectativa se passará a ser pago em dia, atrasos que afirma que já estão acontecendo desde a gestão passada, situação que se arrasta até hoje. Sobre o 13º salário, a perspectiva é tão ruim quanto sobre o atraso. Ele afirmou que sem a chegada de verba federal este direito do trabalhador será parcelado.


Quanto ao vale-refeição, Rosa não concorda que o mesmo está há dez meses em atraso. “Quando eu assumi, estavam há 90 dias sem receber o beneficio. Renegociamos a dívida e voltamos a pagar o que durou três meses e não conseguimos mais honrar. No momento, o benefício se encontra bloqueado pelo Banrisul, mas em nossa conta devemos três meses”, conclui.


Redator: Tradio Regional



Situação do funcionalismo de Pinheiro Machado se agrava e prefeito anuncia cortes e parcelamento


Outras notícias desta editoria

Comentários (0)





Fechar  X

Situação do funcionalismo de Pinheiro Machado se agrava e prefeito anuncia cortes e parcelamento





O Jornal Tradição Regional não se responsabiliza pelo conteúdo do comentário e se reserva ao direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.


Serão vetadas as mensagens que:


  • Não tratarem do tema abordado na notícia;
  • Sejam repetidas as enviadas pelo mesmo leitor, ainda que com outras palavras;
  • Tenham intenção publicitária, de propaganda partidária, eleitoral ou comercial;
  • Tenham conteúdo ou termos obscenos ou ofensivos;
  • Incentivem racismo, discriminação, violência, medo ou outros crimes;
  • Promovam participação de correntes, spams ou lixo eletrônico.


As opiniões expostas não representam o posicionamento do Jornal Tradição Regional, que não se responsabiliza por eventuais danos causados pelos comentários. A responsabilidade civil e penal pelos comentários é dos respectivos autores. O usuário tem ciência e concorda expressamente com a prerrogativa de restringir quaisquer conteúdos que violem ou que possam ser interpretados como violadores às disposições do presente instrumento.

Enviado com sucesso!

Em breve, o Jornal Tradição
Regional entrará em
contato com vocé.

ok

Fechar  X

Situação do funcionalismo de Pinheiro Machado se agrava e prefeito anuncia cortes e parcelamento


Enviado com sucesso!

ok


Jornal Tradição Regional - O elo da notícia até você.

Av. Imperador Dom Pedro I, 1886, sala 1 - Bairro Fragata - CEP: 96030-350 - Pelotas/RS

E-mail: jornaltradicao@jornaltradicao.com.br / Telefone: (53) 3281 1514

© Todos os direitos reservados